Warning: "continue" targeting switch is equivalent to "break". Did you mean to use "continue 2"? in /home/pesquisaemdor/www/wp-includes/pomo/plural-forms.php on line 210
A recorrência de dor lombar em um ano é comum? 69% das pessoas com dor lombar podem ter novos episódios em um ano, mas com poucas limitações. – Pesquisa em Dor

A recorrência de dor lombar em um ano é comum? 69% das pessoas com dor lombar podem ter novos episódios em um ano, mas com poucas limitações.

julho 15, 2019 - pesquisaemdor

No Comments

Estudos anteriores demonstram que a maioria dos indivíduos com dor lombar aguda se recupera dentro de seis a 12 semanas.1,2 Entretanto, algumas pessoas podem sofrer novos episódios de dor lombar tornando a recorrência uma situação comum.3,4 Em um estudo recém publicado, nosso grupo de pesquisa realizou uma revisão sistemática5 que investigou o risco de recorrência de dor lombar em pacientes que se recuperaram de um episódio anterior no período de um ano. Os dados da revisão demonstraram que ainda não existiam estimativas confiáveis do risco de recorrência de dor lombar, devido à heterogeneidade e baixa qualidade metodológica dos estudos incluídos.5 A revisão também encontrou pouca evidência sobre fatores prognósticos para recorrência de dor lombar.5

A maioria dos estudos anteriores6-9 investigando recorrências de dor lombar incluiu pessoas que se recuperaram de um episódio de dor lombar em diferentes momentos do passado, e podem ter se recuperado por longos e variados períodos. Isso pode influenciar nas estimativas de recorrência, já que o curso clínico de pessoas que tiveram uma condição por um longo período de tempo provavelmente é diferente daqueles que desenvolveram a condição recentemente. Os estudos anteriores também utilizaram diferentes definições de recorrência ou não apresentaram uma definição clara,6-8,10,11 e isso pode produzir diferentes estimativas. Além disso, a maioria dos estudos anteriores não descreveram claramente a definição de um episódio anterior,6-9,12,13 o que gera dúvida se os participantes tinham realmente se recuperado, e estavam verdadeiramente em risco de ter uma recorrência.

Nós decidimos realizar um estudo14 para fornecer estimativas mais confiáveis sobre o risco de recorrência de dor lombar no período de um ano após a recuperação de um episódio de dor lombar prévio; e identificar os fatores prognósticos para uma recorrência de dor lombar. Trata-se de um estudo coorte prospectivo, com um total de 250 pacientes que se recuperaram de um episódio de dor lombar no último mês. O desfecho primário foi dias para a recorrência de um episódio de dor lombar. Os desfechos secundários foram dias para a recorrência de dor lombar com limitação das atividades diárias, e dias para a recorrência de dor lombar com busca por cuidados em saúde.

A estimativa do risco de recorrência de dor lombar encontrada em nosso estudo foi muito maior do que as estimativas relatadas anteriormente. Em um ano, 69% dos participantes tiveram recorrência de um episódio de dor lombar, 40% tiveram recorrência de dor lombar com limitação das atividades diárias e 41% tiveram recorrência de dor lombar com busca por cuidados em saúde. Também encontramos que a exposição frequente a posturas inadequadas, maior tempo sentado (cinco horas por dia) e mais de dois episódios anteriores foram fatores preditivos de recorrência de um episódio de dor lombar em um ano.

Os resultados desse estudo indicam que após a recuperação de um episódio de dor lombar, cerca de 70% das pessoas sofrerá outro episódio de dor lombar em um ano. Contudo, muitos desses episódios parecem ser relativamente menores já que apenas cerca de 40% dos participantes relataram limitação das atividades diárias ou busca por cuidados em saúde.

Estes resultados são importantes para os clínicos ao fornecer informações aos pacientes sobre o provável risco das recorrências de dor lombar. Os resultados também demonstram a necessidade de estratégias eficazes para prevenir recorrências de dor lombar. Os fatores prognósticos que identificamos de exposição frequente a posturas inadequadas e longos períodos sentado podem ser considerados potenciais alvos para o desenvolvimento de estratégias de prevenção mais eficazes.

Informações do estudo:

Recurrence of low back pain is common: a prospective inception cohort study.

da Silva T, Mills K, Brown BT, Pocovi N, de Campos T, Maher C, Hancock MJ.

J Physiother. 2019 Jun 14. pii: S1836-9553(19)30059-1. doi: 10.1016/j.jphys.2019.04.010. [Epub ahead of print]

 

Sobre Tati da Silva

Tati é atualmente aluna de pós-doutorado na Universidade Cidade de São Paulo. Tati concluiu seu doutorado recentemente pela Universidade Macquarie, sob orientação do Prof. Mark Hancock, com uma bolsa de estudos pela Capes. Sua tese de doutorado descreveu estudos investigando o risco de recorrência de dor lombar, e predizendo recuperação para dor lombar aguda. Seus interesses de pesquisa incluem estudos de prognostico em dor lombar, eficácia de intervenções para dor lombar, e investigação do uso de prática baseada em evidências por clínicos.

 

 

 

Referencias:

  1. da Cunha Menezes Costa L, Maher CG, Hancock MJ, McAuley JH, Herbert RD, Costa LO. The prognosis of acute and persistent low-back pain: a meta-analysis. CMAJ. 2012;184(11):E613-624.
  2. Henschke N, Maher CG, Refshauge KM, et al. Prognosis in patients with recent onset low back pain in Australian primary care: inception cohort study. BMJ. 2008;337:a171.
  3. Hoy D, Brooks P, Blyth F, Buchbinder R. The Epidemiology of low back pain. Best Pract Res Clin Rheumatol. 2010;24(6):769-781.
  4. Refshauge KM, Maher CG. Low back pain investigations and prognosis: a review. Br J Sports Med. 2006;40(6):494-498.
  5. da Silva T, Mills K, Brown BT, Herbert RD, Maher CG, Hancock MJ. Risk of Recurrence of Low Back Pain: A Systematic Review. J Orthop Sports Phys Ther. 2017;47(5):305-313.
  6. Biering-Sorensen F. A prospective study of low back pain in a general population. I. Occurrence, recurrence and aetiology. Scand J Rehabil Med. 1983;15(2):71-79.
  7. Carey TS, Garrett JM, Jackman A, Hadler N. Recurrence and care seeking after acute back pain: results of a long-term follow-up study. North Carolina Back Pain Project. Med Care. 1999;37(2):157-164.
  8. Cassidy JD, Cote P, Carroll LJ, Kristman V. Incidence and course of low back pain episodes in the general population. Spine (Phila Pa 1976). 2005;30(24):2817-2823.
  9. Stevenson JM, Weber CL, Smith JT, Dumas GA, Albert WJ. A longitudinal study of the development of low back pain in an industrial population. Spine (Phila Pa 1976). 2001;26(12):1370-1377.
  10. Hancock MJ, Maher CM, Petocz P, et al. Risk factors for a recurrence of low back pain. Spine J. 2015;15(11):2360-2368.
  11. Stanton TR, Henschke N, Maher CG, Refshauge KM, Latimer J, McAuley JH. After an episode of acute low back pain, recurrence is unpredictable and not as common as previously thought. Spine (Phila Pa 1976). 2008;33(26):2923-2928.
  12. Soukup MG, Glomsrod B, Lonn JH, Bo K, Larsen S. The effect of a Mensendieck exercise program as secondary prophylaxis for recurrent low back pain. A randomized, controlled trial with 12-month follow-up. Spine (Phila Pa 1976). 1999;24(15):1585-1591; discussion 1592.
  13. Soukup MG, Lonn J, Glomsrod B, Bo K, Larsen S. Exercises and education as secondary prevention for recurrent low back pain. Physiother Res Int. 2001;6(1):27-39.
  14. da Silva T, Mills K, Brown BT, et al. Recurrence of low back pain is common: a prospective inception cohort study. J Physiother. 2019.

 

pesquisaemdor

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *